Shantala

Olá, tudo bem?
                                        
A páscoa está chegando e desejo a você um dia feliz e repleto de mudanças interiores. E para essa vidinha que está começando agora, a do seu filhote, desejo que seja marcada com muita alegria, momentos bons e recordações em família.
E para não perder o significado da data, afinal os pequenos curtem tanto, há formas de tornar esse momento divertido até mesmo sem chocolate!
Veja só:


Para os bebês
Prefira presentear com brinquedos que remetam a Páscoa, como cenouras e coelhos de pelúcia. Se tiver som é melhor ainda e o brinquedo estimulará mais ainda o aprendizado do pequeno.


Para os grandinhos
Caça ao Coelho: Faça pequenos embrulhos em forma de cenoura e esconda todos eles pela casa. A diversão será garantida em família na procura das cenourinhas. Vale até fazer pegada no chão simulando as patinhas do coelho com farinha.
Acerte o Alvo: Decore uma grande cesta com o tema da páscoa , pegue uma pequena bola e divida a família em duas equipes. A equipe que acertar mais vezes a bola dentro da cesta vence o jogo.


Denise Gurgel







13 de março






Olá, tudo bem?

"A Julia estava com 4 meses e reagiu super bem a Shantala. O vínculo que cria, o olhar dela pra mim e o sorriso de quem está gostando me cativou ainda mais! Descobri que não era apenas para aliviar a cólica." Paloma Santos, mãe da Júlia
Esse é um trechinho do depoimento da Paloma, se vc quiser conferir na íntegra acesse o site através desse link.
Na foto do flyer abaixo você conhecerá a 

pequena Júlia, no dia da sua primeira Shantala olhando a mão da Paloma. Ficou fascinada com as mãos da mãe durante a massagem e a acompanhava o tempo todo, uma lindeza de se ver!


Beijos Denise Gurgel

_________________________________________________________________________________


06 de março



Sempre tento escrever matérias com temas atuais e há alguns dias atrás a Renata Dias, mãe da fofíssima Lorena escreveu a seguinte mensagem para mim.
“Tenho 27 anos e uma bebê de seis meses. Faço uso do Sling (carregador de bebê) com muita frequência e minha filha gosta bastante. Sempre que saio com a Lorena no Sling ela acaba dormindo um soninho bem gostoso.

Estou com um grande problema, pois quando uso o Sling, as pessoas na rua me olham com cara feia, como se eu estivesse maltratando a minha filha. Já ouvi diversos comentários maldosos, mas eu me seguro para não arrumar confusão. A sociedade ainda não sabe que as coisas estão evoluindo e o Sling também faz parte dessa evolução.

Precisamos nos mobilizar para que as pessoas fiquem sabendo das modernidades de hoje. Conto com sua ajuda para divulgarmos!”




Quando li esse e-mail, o tema do artigo estava decidido, preconceito!
Ser mãe moderna muitas vezes é andar na contramão do que aprendemos durante toda a nossa vida como filhas e muitas vezes do que assistimos na mídia.
Ainda falta muito esclarecimento sobre todas as novidades, afinal não são todas as receitas da vovó que funcionam hoje em dia na educação dos pequenos. A ciência evoluiu muito nos últimos tempos e as informações que mães e pais têm hoje são baseadas em comprovações científicas.
Os mitos sobre os cuidados com o bebê são inúmeros. Até o colo era vilão! Antes as pessoas achavam que o bebê ficaria mal acostumado com um colinho a mais. Ora, e quem é que não gosta de receber carinho e de se sentir protegido? Pense num local totalmente estranho para você, agora você terá que morar nele. Assim é o mundo para o bebê após o nascimento, um lugar “desconhecido”, com muitas sensações novas e outras repaginadas e, nós devemos negar um colinho para o pequerrucho? 
Toda essa ansiedade e pressão das pessoas só atrapalha os pais para conhecer o seu pequeno e descobrir com ele as suas próprias necessidades. Seja a hora tirar a fralda, a hora de ir para a sua cama, a hora de desmamar e a hora de tantas outras situações que ainda virão ao longo da vida.
Por isso, a minha sugestão ao ver uma mamãe no Sling com o seu filho, a mesma situação que a Renata vivencia, é a mais simples: - Olhe a carinha do bebê! Se ela estiver coradinha, com as bochechas vermelhas imersas num soninho gostoso, a resposta para a sua dúvida já está dada! Está tudo bem!
Ah, o meu papel eu fiz! Atendi o pedido da Renata e o seu, se possível após ler esse artigo é divulgar para que outras pessoas possam conhecer ao invés de estranhar, buscando sempre informação!
Denise Gurgel - Fisioterapeuta Materno Infantil especialista em Shantala




10 de Fevereiro

Depois da apresentação aqui na Boutique dBb e recepção calorosa fiquei pensando no que escrever. E não tem jeito, sempre de cara preciso escrever um pouco mais de mim.
São poucas as pessoas que conseguem equilibrar trabalho com prazer e nesse caso, tenho convicção que faço parte dessa estatística. Sou fisioterapeuta e trabalho com Shantala (sei que já escrevi isso na apresentação...rs) e vejo nessa técnica de massagear e amar o bebê uma forma de ajudar o pequeno a conhecer o mundo suavemente, com o carinho das mãos.

Já pensou como é para o bebê abrir os olhos e ver o mundo? Ser tocado, pego por diversos colos logo após o nascimento? É como se tudo estivesse do avesso, afinal antes ele estava dentro da mãe. A pergunta é: - O que devemos fazer para reforçar as impressões do passado (gestação) e ajudar o bebê a conhecer o mundo?
Massagem, muita massagem! O que o bebê precisa para se sentir seguro, é ser pego, massageado, acalentado, afinal foi à segurança do contato contínuo na pele durante a gestação que traduz a sua primeira memória.




Na contramão do que aprendemos
Tão simples! Não é preciso andar na contramão tentando deixar o bebê chorar no berço para ele não ficar mal acostumado. Isso sim é prejudicial ao desenvolvimento sadio do bebê.
Às vezes me pregunto porque abracei Shantala. O que eu quis resgatar internamente quando conheci a técnica em 1999 é um segredo do meu coração. Mas vejo nela, uma oportunidade incrível dos pais ficarem perto dos filhos e de quebra ainda trazer benefícios físicos e orgânicos.
A técnica indiana é milenar e trás consigo uma sabedoria popular descoberta pelo Dr. Frédérick Leboyer que numa viagem a Índia, observou uma mãe numa rua de Calcutá massageando seu bebê com uma intimidade e interação encantadora. Leboyer fotografou em dias consecutivos e ao publicar o livro no Brasil deu o nome da massagem de Shantala, pois esse era o nome da jovem mãe.
A massagem é realizada num local tranqüilo, acolhedor e aquecido, com o bebê desnudo sobre as pernas estendidas da mãe. A aplicação dura de 15 a 30 minutos, dependendo da aceitação ao toque e usa-se óleo de origem vegetal para facilitar o deslizamento das mãos. A partir de um mês de vida os bebês já podem receber Shantala e não há restrições em iniciar com os mais grandinhos.
É simples, porém profunda! Para que os benefícios aconteçam é preciso se comunicar com o bebê. Não da forma como estamos acostumados, falando, mas através do toque. E por isso, Shantala mostra-se tão eficiente, ajudando os pais a conhecerem o corpo do seu bebê e como eles se comunicam.
Em resposta, o bebê dorme melhor, libera os gases com mais facilidade, prevenindo as famosas cólicas e prisão de ventre. A massagem estimula a resistência imunológica, amplia respiração e diminui o stress.
A criança cresce sadia emocionalmente, pois recebeu de sobra o que mais precisamos e guardamos na nossa memória, seja da pele ou do coração, carinho e amor!
Denise Gurgel Barboza
Fisioterapeuta Materno Infantil especialista em Shantala   








Hoje é a minha primeira vez aqui na Boutique dBb e fiquei super feliz de ter um espaço bacana para trocar informações com mamães e futuras mamães!
Sou a Denise Gurgel, esposa do maridão Sidney, filha, “boadrasta” de três enteados e futura mamãe, pois estou planejando engravidar esse ano! Sou fisioterapeuta materno infantil e professora de Shantala. 
Todos os dias coloco as mãos na massa, ou melhor, nos bebês! Rs...Shantala, é uma massagem realizada em bebês e crianças. Não tem trabalho melhor do que esse mundo, e por isso me considero uma pessoa de sorte!
Acredito nos benefícios da técnica, no contato especial que ela promove entre pais e filhos, estabelecendo uma relação de confiança e nos benefícios físicos e emocionais para os pequenos.
Comecei o trabalho com Shantala através do tratamento clínico que realizava para a criança deficiente e aquelas que apresentavam atraso no desenvolvimento motor. Achei na Shantala uma forma magnífica de estimular o conhecimento do corpo e aprofundei os estudos para todas as crianças.
Apaixonada pela massagem nos cursos divulgo os benefícios da técnica, tão sutil e única, mostrando que é possível oferecer aos bebês e crianças, uma experiência corporal que refletirá intensamente no seu desenvolvimento.
E por aqui, aprenderei com vocês e dividirei um pouco dessa experiência que tenho aprendido nesses mais de 10 anos de contato com pais e filhos.
Denise Gurgel
Fisioterapeuta Materno Infantil especialista em Shantala

5 comentários:

  1. Denise,
    Todas as mamaes deveriam aplicar a tecnica em seus bebês! Na minha opiniao o contato humano vale mais que mil palavras....Adorei, Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não só nos bebês, os grandinhos tbm precisam desse contato! Aliás, todos deveriam receber massagem! "Bora" criar uma lei! rs....Bj

      Excluir
  2. Adoro a Denise! Uma pessoa calma, serena e muito amorosa! Exatamente o que as palavras dela transmitem nesse belo texto!
    Viva o contato humano!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vc é uma querida Andréa!! E viva o carinho, abraço, beijos e a Shantala! rs

      Excluir

O que você achou?